segunda-feira, 20 de julho de 2015

ANAGÉ: ESTUDANTE É DETIDA EXERCENDO ODONTOLOGIA ILEGALMENTE

O Conselho Regional de Odontologia do Estado da Bahia (CRO-BA), em parceria com a Polícia Militar, realizou uma força tarefa no último sábado (18) para combater o exercício ilegal da odontologia na região de Vitória da Conquista. Um homem foi detido em flagrante no município de Ipiaú, onde alegou formação no Paraguai, porém não comprovou a documentação exigida para exercer a profissão. A outra detenção ocorreu em Anagé, na tarde deste sábado (18) onde uma estudante de Odontologia de Vitória da Conquista, exercia ilegalmente a profissão, sem a supervisão de um profissional habilitado, no ato ela estava atendendo uma senhora, segundo nota oficial do CRO-BA. Segundo Coordenador de Fiscalização do CRO, a universitária atendia aos sábados e anunciava seus serviços através das redes sociais. Os acusados vão responder por exercício ilegal da profissão de odontologia e podem pegar de seis meses a dois anos de prisão.

Com informações do Blog do Anderson

quinta-feira, 9 de julho de 2015

PESCADORES REALIZAM MAIOR TORNEIO DE PESCA ESPORTIVA DO NORTE-NORDESTE NA BARRAGEM DO RIO GAVIÃO

Mais de 100 pescadores de várias partes da Bahia e estados vizinhos se reunirão no próximo final de semana na represa do Rio Gavião em Anagé/Caraíbas para se dedicar à pesca esportiva. O 6º Torneio de Pesca com Iscas Artificiais (TOPA), que ocorrerá no sábado (10), promete movimentar a represa em busca do tucunaré, considerado um dos peixes mais esportivos do mundo.

Este ano, o evento se transformou no maior da modalidade no Norte Nordeste. Os pescadores se dividem em mais de 30 embarcações, composta por duas categorias: Barcos com Motor de Popa (mínimo dois e no máximo de três participantes) e Caiaques (com pescadores individuais).

Os 1º, 2º e 3º lugares das duas categorias serão contemplados com troféus. E para o maior peixe pescado no evento, o pescador receberá o troféu “tucunão”. Já o troféu “Dedo” será destinado ao pescador que obtive o pior desempenho na competição.

A classificação é feita a partir da soma de peso dos cinco maiores exemplares devidamente vivos. Após a pesagem, todos os animais serão devolvidos às águas da represa.




terça-feira, 7 de julho de 2015

CARAÍBAS: CMDCA DIVULGA RESULTADO PRELIMINAR DO TESTE DE CONHECIMENTO PARA OS CANDIDATOS AO CONSELHO TUTELAR DE CARAÍBAS

O Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Caraíbas, divulgou na ultima sexta-feira (03/07) o resultado preliminar do teste de conhecimentos a que se submeteram os inscritos que pretendem concorrer às eleições para conselheiros tutelares em nosso município. A prova foi aplicada no dia 07/06 e dezessete inscritos compareceram para o certame.

Os aprovados a baixo após período a ser estipulado pelo CMDCA, poderão iniciar campanha visando as eleições do próximo dia 04 de outubro, onde serão eleitos os Conselheiros, titulares e suplentes para atuarem nos próximos anos em nosso município.

Clique no edital abaixo para ampliá-lo.


sexta-feira, 3 de julho de 2015

CARAÍBAS: SECRETARIA DE SAÚDE CONVIDA PARA A CONFERÊNCIA MUNICIPAL COM A PRESENÇA DE JORGE SOLLA EX-SECRETÁRIO ESTADUAL DE SAÚDE.

A prefeitura Municipal de Caraíbas, por meio da Secretaria de Saúde e do Conselho municipal de Saúde, realiza nos próximos dias 06 e 07 de Julho (segunda e terça-feira), mais uma Conferência Municipal de Saúde.

O evento terá como tema: “Saúde Pública de Qualidade Para Cuidar Bem das Pessoas: Direito do Povo Brasileiro” e abertura se dará as 13:30 no Espaço de Eventos da cidade.

Além de representantes do poder público e da sociedade civil, o evento também contará com a honrosa participação do ex-secretário de Saúde do estado e hoje deputado federal pelo PT, Jorge Solla, que com sua vasta experiência muito contribuirá com o debate na Conferência.

Ao final do segundo dia de debate os conferencistas deverão escolher os delegados que irão representar nosso município na Conferência Regional com data a ser definida.




OPINIÃO: CUNHA E A MISÉRIA CIVILIZATÓRIA

Nem nos mais sombrios períodos da ditadura militar, ou mesmo no Estado Novo varguista, a Câmara dos Deputados foi presidida por um deputado tão flagrantemente desqualificado para o cargo como Eduardo Cunha. Desprovido do mínimo de consciência democrática e convicção republicana, sua presença no comando da Câmara só contribui para degenerar e desmoralizar ainda mais um poder já mal visto pela população.

Ser conservador até a medula é o menor problema de Cunha. Em todas as democracias do mundo encontramos progressistas e conservadores, fisiológicos e republicanos, reacionários de direita e esquerdistas, liberais e estatistas. É do jogo democrático e expressa as diferentes correntes políticas e ideológicas da sociedade.

Os dois episódios ocorridos em menos de 15 dias, nos quais depois de derrotado Cunha tramou na calada da noite e repetiu a votação do mesmo tema no dia seguinte, não encontram paralelo na história do parlamento brasileiro. Tanto em relação à questão do financiamento das campanhas como na redução da maioridade penal, Cunha rasgou sem cerimônia o regimento da Câmara e atropelou as regras básicas que sustentam o funcionamento de qualquer parlamento : a palavra empenhada e os acordos firmados.

Sua mente deformada por um autoritarismo doentio desconsidera preceitos democráticos fundamentais. Ao impedir a entrada de pessoas nas galerias para acompanhar as votações, ele nada mais faz do que expressar seu desprezo pela participação popular e pelo fato óbvio de que a Câmara  não pertence aos nobres deputados, mas sim ao povo que elege seus representantes. Pressionar deputados, portanto, é um direito do eleitor. 

Cunha na presidência da Câmara é a consagração do atraso social e político. É um monumento à regressão civilizatória e um atentado permanente à laicidade do Estado. Haja vista a pauta das trevas que estimula, os projetos obscurantistas que desenterrou e faz tramitar na Câmara, alguns até em caráter de urgência. Para completar o desserviço à causa republicana, Cunha nomeou irmãos de fé evangélica para cargos-chave na estrutura da Câmara.

Em 1993, o eleitor brasileiro foi convocado a decidir através de plebiscito se desejava continuar no regime presidencialista ou mudar para o parlamentarismo. Ganhou o presidencialismo com mais de 70% dos votos. Só alguém que padece de um  déficit abissal e insanável de compromisso democrático pode tramar contra a vontade da população brasileira e articular a votação de uma emenda parlamentarista pela Câmara. E o PIG noticiou essa movimentação golpista de Cunha da forma mais natural. Também é aquela história : de onde menos se espera ... é que não vem nada mesmo.

Enrolado na Lava Jato e com um histórico alentado de denúncias e processos judiciais, Cunha, com seu telhado de vidro gigantesco, conta com o apoio da mídia mais canalha do planeta para solapar o governo da presidenta Dilma, inclusive, pausa para risada como diz o Paulo Nogueira, fazendo cobranças de natureza ética e moral.

O problema é que Cunha não está só. Ele cavalga impulsionado por um sentimento de intolerância e de ódio que hoje envenena o Brasil. Os 300 e poucos votos que o golpe da redução da maioridade obteve na noite desta quarta-feira, 1 de julho, são reveladores de que para a Câmara dos Deputados o céu é o limite para a liquidação dos direitos mais comezinhos da cidadania.

Diante da preocupação extrema com o presente e com o futuro do país, não há como não lembrar da seguinte pergunta metafórica : quem sai vencedor numa corrida entre um tubarão e um cavalo ? Depende, é claro, da raia de disputa, se no mar ou na terra. Ou seja, nesse Congresso democratas e progressistas perderão todas. Mas, nas ruas, na sociedade e nas redes têm chances de virar o jogo. Não há tempo a perder.

Por: BEPE DAMASCO


quinta-feira, 2 de julho de 2015

SALVE O 2 DE JULHO NA BAHIA

A Independência do Brasil não se definiu com o discurso de D. Pedro I em Sete de Setembro de 1822. O Grito do Ipiranga foi, na verdade, um grito de guerra e ela ocorreu no Norte e Nordeste do País. As lutas no Recôncavo baiano foram as mais sangrentas e a Independência da Bahia teve um papel chave na consolidação da Independência do Brasil.
Até 1763, Salvador foi a capital do Brasil. Os portugueses estavam instalados na região há mais de 200 anos. Portugal era, na época, uma das maiores potências mundiais.

O processo de independência do país iniciou-se com os movimentos separatistas do fim do século 18, principalmente em Minas Gerais e Bahia.

A Conjuração Baiana, em 1798, também conhecida como Revolta dos Alfaiates, foi um movimento abrangente, com grande participação popular. Buscava-se instalar uma república independente e a libertação dos escravos. A revolta foi sufocada pelos portugueses.

Com as pressões pela independência, as tropas portuguesas retiraram-se para províncias do Norte e Nordeste do País, com o comando português centralizado em Salvador.

Em fevereiro de 1822, chegou de Portugal a designação do brigadeiro Madeira de Mello para o comando das Armas, na Bahia. A Câmara Municipal negou-se a dar posse ao novo comandante. A partir de então, iniciou-se as lutas entre portugueses e brasileiros. Os soldados lusos tomaram Salvador. Os brasileiros cercaram a cidade e intensificaram a guerrilha urbana.

As batalhas ocorreram em todo o Recôncavo baiano com os brasileiros inicialmente sob o comando do general Pedro Labatut e, posteriormente, do coronel José Joaquim de Lima e Silva. O exército brasileiro conquistou gradativamente o controle das cidades do Recôncavo.

A batalha decisiva foi a de Pirajá, no subúrbio de Salvador. Em Dois de julho de 1823, as tropas brasileiras entraram em Salvador.

O entendimento histórico é que, caso os portugueses vencessem na Bahia, haveria um avanço para a reconquista do Sudeste do País. Nesse sentido, as lutas na Bahia foram fundamentais para Independência do Brasil. 

Com informações site Bahia Turismo.


quarta-feira, 1 de julho de 2015

CÂMARA DOS DEPUTADOS REJEITA REDUÇÃO DA MAIORIDADE PENAL

O Plenário da Câmara dos Deputados rejeitou, na madrugada desta quarta-feira (1º), o texto da comissão especial para a PEC que reduz a maioridade penal (PEC 171/93). Foram 303 votos a favor, quando o mínimo necessário eram 308. Foram 184 votos contra e 3 abstenções. A discussão, no entanto, ainda não se encerrou, avisou o presidente da Câmara, Eduardo Cunha. Ele lembrou que o Plenário ainda tem de votar o texto original da proposta ou outras emendas que tramitam em conjunto. Ainda não há data para a retomada da discussão. Eduardo Cunha disse que a proposta poderá voltar à pauta na semana que vem ou, se isso não for possível, no segundo semestre. Antes do recesso, o Plenário ainda precisa votar o segundo turno da PEC da Reforma Política. A proposta rejeitada reduziria de 18 para 16 anos a maioridade penal para crimes hediondos, como estupro, latrocínio e homicídio qualificado (quando há agravantes). O adolescente dessa faixa etária também poderia ser condenado por crimes de lesão corporal grave ou lesão corporal seguida de morte e roubo agravado (quando há uso de arma ou participação de dois ou mais criminosos, entre outras circunstâncias). O texto original, que pode ir à votação, reduz a maioridade para 16 em todos os casos.